Vacina contra a gripe crianças, gestantes e trabalhares em saúde e povos indígenas


Começa na segunda-feira, 12 de abril, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, começando pelos grupos das crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde e povos indígenas. Serão, no total, três etapas da campanha, totalizando 5 milhões de pessoas aptas a receber a vacina no Rio Grande do Sul.


A partir de 11 de maio, poderão se vacinar idosos (60 anos ou mais) e professores. Na última etapa, que começa em 9 de junho e termina em 9 de julho, será a vez dos demais grupos prioritários (pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente e outros).


A chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Tani Ranieri, explica que a vacina contra a gripe não protege contra a Covid, mas ajuda a evitar a sobrecarregar o sistema de saúde.


CRONOGRAMA E GRUPOS PRIORITÁRIOS

1ª etapa: de 12 de abril até 10 de maio • Crianças acima dos 6 meses e menores de 6 anos – 765.827 • Gestantes e puérperas – 117.541 • Trabalhadores da saúde – 361.210 • Povos indígenas – 30.347


2ª etapa: de 11 de maio até 8 de junho • Pessoas acima dos 60 anos – 2.143.707 • Professores – 141.254


3ª etapa: de 9 de junho até 9 de julho • Pessoas com comorbidades – 777.224 • Pessoas com deficiência permanente – 399.436 • Caminhoneiros – 111.289 • Trabalhadores de transporte coletivo – 42.831 • Trabalhadores portuários – 4.051 • Forças de segurança e salvamento – 31.489 • Forças Armadas – 38.899 • Funcionários do sistema prisional – 4.881 • População privada de liberdade – 40.099 Meta de vacinação

A meta de vacinação é atingir 90% de cada um destes grupos prioritários: crianças, gestantes, puérperas, idosos, povos indígenas, professores e trabalhadores da saúde.


Dia D e operacionalização da vacinação

Municípios têm autonomia para definir a data do Dia D de mobilização da vacinação contra a gripe – um sábado em que os postos de saúde e casas de vacina se mantêm abertos para garantir a vacinação dos grupos prioritários. Também têm autonomia, de acordo com a realidade local e recursos disponíveis, para definir as estratégias usadas para alcançar o público-alvo, locais e equipes de profissionais convocados.


O Estado recomenda, porém, utilizar sistema de agendamento, horário estendido nas Unidades de Saúde, parcerias com instituições e outros setores, vacinação fora dos postos e busca ativa. Também é necessário organizar a vacinação de modo a evitar aglomerações e realizar demais ações para prevenir o contágio de Covid.


Carteirinha de vacinação

O público deve levar sua carteira de vacinação. Vacinadores podem aproveitar a oportunidade para colocar os esquemas de vacinação das crianças em dia.


Composição da vacina

Em 2021, a vacina contra a gripe protege contra as cepas de Influenza:

• A/Victoria/2570/2019 (H1N1)pdm09 • A/Hong Kong/2671/2019 (H3N2) • B/Washington/02/2019 (linhagem B/Victoria)


Vacinação de crianças

Para crianças que estiverem recebendo a vacina contra a gripe pela primeira vez, devem ser aplicadas duas doses, com intervalo mínimo de 4 semanas entre elas.


Vacinação contra a gripe x Covid

De acordo com a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Tani Ranieri, ainda não há estudos que comprovem a segurança da aplicação conjunta da vacina contra a Covid com outras. Por isso, a recomendação é manter um intervalo mínimo de 14 dias entre elas. Deve-se priorizar a vacinação contra a Covid. Se a pessoa apresentar sinais de infecção por Covid, adiar a vacinação até a recuperação clínica total e, pelo menos, quatro semanas após o início dos sintomas.


Fonte Governo do RS/Ascom


VACIANA COVID-19

Acontece neste sábado e segunda a vacina para idosos acima de 64 anos confira as datas e horários:










Na segunda, 12, ocorre vacina para profissionais da saúde:




ÚLTIMAS NOTÍCIAS