Trago polêmica: vazio é melhor que picanha!

Natália Carvalho*

naticarvalhoo@gmail.com


A internet é um grande palco pra gente mal-educada. E aqui faço essa afirmação com propriedade, como pesquisadora de Comunicação que estuda as interações em redes sociais. O problema do ser humano é que ele acha que precisa opinar em tudo, inclusive sobre temas que não domina. Ele não tem humildade para perguntar o que não entende, para pesquisar sobre o que ainda não tem conhecimento. Mas a coragem em opinar, ah, isso ele tem. E de sobra!
Um especialista da área da saúde postou uma informação relevante, com base em pesquisas científicas, após noites e noites dormindo sobre o estudo. Mas quem sabe sobre isso é o Zé, que debate e discorda veementemente porque ele acha que a posição do especialista está errada. O zé acha e incendeia a rede social. Xinga o profissional. Baixa o nível do debate. Tudo porque ele acha.
Certo dia, postei no meu Twitter que vazio era melhor que picanha. Pra quê?! Me digam: pra quê eu fiz isso? Essa postagem teve 605 curtidas (possivelmente de pessoas que concordam com a minha opinião), 95 repostagens (de pessoas que postaram meu tweet porque concordam ou então pra discordar dele) e 40 respostas enviadas pra mim. Entre essas 40 respostas, vocês não imaginam o que apareceu: muita gente concordando, óbvio. Mas também uma cacetada de pessoas dizendo que eu achava isso porque não sabia assar carne, porque nunca tinha comido uma picanha boa, porque a picanha que comi não estava bem temperada, que o boi morreu em vão, porque porque porque. Gente, calma, relaxa! Foi só uma opinião, um gosto pessoal. É ok preferir uma carne à outra. Não tem nada de errado nisso.
Mas o pior de tudo é que as pessoas não ficam satisfeitas em apenas discordar da opinião. Elas precisam ser agressivas, apelar para xingamentos (de baixo calão, que nem iremos reproduzir neste jornal que é lido por famílias, mas se quiserem saber, podem mandar e-mail que eu conto!) e é isso aqui que está muito errado. Todos nós somos pessoas atrás das telas. Todos temos problemas, passamos por dificuldades, enfrentamos as nossas barras que ninguém sabe. Discordar de uma opinião não nos dá o direito de ofender ninguém.
Eu achar vazio melhor que picanha não é dado científico. Por isso discordar tá permitido. Isso é opinião. Cada um tem a sua, cada um respeita a do outro e pode opinar (e ainda assim, não quer dizer que deve fazer isso sempre). Agora, se optar por manifestar uma opinião diferente do amigo na rede social dele, seja educado. Esteja aberto ao debate. Não desconte suas frustrações em cima do coleguinha que estava lá, de boa escrevendo na rede dele. Ele não tem nada com as frustrações pessoais de ninguém pra ser saco de pancada por algum motivo que ele nem sabe qual é.
Leveza! A internet não é só uma extensão da sociedade, como é uma parte dela que não temos mais como separar da ambiência social. O que somos aqui fora, somos lá dentro também. Então, não digam nas redes o que não teriam coragem de dizer cara a cara com o interlocutor, tá ok?

*Publicitária

Posts recentes

Ver tudo

Páscoa é tempo de celebrar! Natália Carvalho- Publicitária naticarvalhoo@gmail.com Eu sou uma pessoa naturalmente festeira. Não no sentido de balada, porque para balada eu

Fevereiro! Finalmente acabou o janeiro quente e que parecia não ter fim! E eu fiquei super feliz quando vi a programação da Netflix para esse mês e o primeiro nome que estava lá na lista, com estreia

Primeira semana do ano é aquela que é uma mistura de ressaca das festas de fim de ano, quando o corpo pede repouso da comilança exagerada e das bebidas que passamos um pouquinho da conta. Ele também s

ÚLTIMAS NOTÍCIAS