• Nova Folha Regional

Walter Galvani

Tédio e estresse

Você sabe até onde o cancelamento dos planos das academias podem lhe levar? Pois, eu não sei. E... parece que ninguém sabe.

Leia sobre o que lhe prometem: acabar com “uma retroalimentação que aumenta o tédio e o estresse, piores escolhas alimentares, piora glicemia e a gordura corporal e todos os índices de gorduras inflamatórias que fazem mal para o corpo”. Como se vê, fica tudo mais complicado e acho que piora também para a alma...

Porto Alegre tem até um responsável pelo “Enfrentamento do Coronavírus” que promete restringir a circulação das pessoas e acabar com o tédio, o estresse, a ansiedade e a depressão. Tomara que consiga. Mas, esses males típicos da vida moderna, não nos parecem tão simples assim de serem extirpados do convívio social, até porque a sua simples nomeação já nos aponta para um caminho difícil. Mas é o que tem que ser feito. Será possível ir tão longe? Ah, isso já é outra questão e nem quero pensar em tudo o que se dirá quando surgir uma proposta simplificadora.

Enquanto isso tem o fechamento prematuro de um comércio de rua, a liquidação de certas atividades, o cancelamento de certas coisas, a escolha pela procura do que vale e do que não vale a pena, enfim toda uma “limpa” – como se dizia a antigamente – e para ver o que sobrou. Com o que, afinal, vai se enfrentar o dia a dia, o combate e a transformação da realidade numa coisa palatável.

Para você, a mensagem especial: pensou que se livraria de todo esse horror com que nos ameaçam diariamente através dos mais simples noticiários?

“Bloquear e fechar tudo!” – essa foi a mensagem que diante de nós se estendeu, diante da impossibilidade de “”ir levando” e tudo contornando, na espera de dias melhores. De março até aqui já se passaram quatro meses e nada melhorou. Ao contrário, quando mais andamos, mais nos afundamos nessa onde de desgraças. E esperamos que seja apenas uma onda.

Menor circulação, paradas cheias, menos transportes coletivos, mais acumulação de dificuldades, na vida privada mais problemas, e pensar que se passaram apenas quatro meses do horror prometido que pode ir muito longe.

De minha parte, já estou de joelhos. Rezando por mim e pelos outros, acreditando que os erros que cometemos não foram tantos assim... Mas, já que estão nos cobrando, vamos estabelecer logo onde é que nos passamos e que se inicie logo a cobrança, meu Pai do Céu... Ou teremos alguém mais próximo para apelar?

Walter Galvani /Coluna publicada em 17 de julho 2020



Posts recentes

Ver tudo

Coluna do Galvani

HOMENAGEM AO BRASIL É uma homenagem ao Brasil, pois a vila de Belmonte, hoje com pouco mais de 8.600 habitantes, sede de um município com 118,76 km2 de área, é a terra natal de Pedro Álvares Cabral, o

Coluna Walter Galvani

VANDALISMO INÚTIL Alguns adotaram o “slogan” infantil, mas sereno: “Se puder, fique em casa” que, se nada tem de agressivo, em compensação não se refere em momento nenhum ao passeio destrutivo dos por

Coluna do Galvani

TRÊS VEZES QUATRO... A vida nos escorre entre os dedos, e quando nos damos conta já lá se foram três meses, um quarto do novo ano, mal havíamos fechado os olhos para os novos planos e projetos. O ano

ÚLTIMAS NOTÍCIAS