Servidores fazem protesto e cobram reajuste salarial


O Movimento dos Servidores de Guaíba, os sindicatos dos professores (SPMG) e dos servidores (SINDIGUAÍBA) se reuniram com os servidores do quadro geral, na quarta, 12 de janeiro, na Praça Gastão Leão, no Centro de Guaíba. O ato teve o objetivo de cobrar transparência da reforma administrativa proposta pelo Executivo do município, que está em tramitação na Câmara de Vereadores, assim como reivindicar a revisão anual e o pagamento do piso salarial dos professores.

O servidor Guilherme Schneider abriu o encontro falando sobre a importância da luta do servidor e sua valorização. Para ele, existe falta de transparência dos gestores na reforma administrativa, e os servidores temem o impacto que a criação de novos cargos e secretarias possa ter sobre a folha de pagamento do funcionalismo público, e que isso se transforme em desculpa para não permitir uma reposição salarial dos funcionários de carreira.

O Presidente do SPMG, Gabriel Meleiro, destacou o papel dos sindicatos em “atuar e defender”. Segundo ele, “a população deve saber que o servidor serve ao público e não aos políticos”. Representando a diretoria do Sindiguaíba, o presidente Edyo Campos falou da desvalorização do servidor no âmbito nacional, e criticou os governos pelos prejuízos à classe com as reformas feitas nos últimos anos.

Edyo também relembrou o cenário da terceirização do serviço público. Todos os representantes pediram qualificação dos gestores e ocupantes de cargos públicos comissionados que irão comandar grande parte dos servidores de carreira.

Mais de 60 servidores se reuniram no ato em apoio ao serviço público.


SERVIDORES: Na sexta-feira, 14, os servidores aceitaram índice de 8,18%oferecido na quinta, 13 , pela prefeitura. 317 votaram a favor e 34 contra o adiantamento a ser pago na folha de fevereiro, com retroativo a janeiro. Na data base em março será negociado o resíduo do índice de fevereiro, junto com a pauta para negociação dos benefícios como o vale alimentação. Agora a proposta segue para a Câmara de Vereadores para a votação nesta segunda-feira, 17.


O QUE DIZ A PREFEITURA: Sobre o ato realizado na tarde de quarta-feira, 12, por um grupo de servidores em protesto à reforma administrativa e em reivindicação aos reajustes salariais decorrentes do piso nacional do magistério e do índice inflacionário, o Executivo Municipal reafirma seu respeito à democracia e às manifestações das categorias. No entanto, recebe com surpresa a realização do ato considerando que mantém as portas abertas para os sindicatos e que está disposto a construir soluções em conjunto para atender as demandas das categorias dos servidores municipais e dos professores. A Prefeitura de Guaíba informa, inclusive, que estão agendadas reuniões com as direções do Sindicato dos Municipários de Guaíba e do Sindicato dos Professores do Município de Guaíba na quinta-feira, 13, para tratar destas questões.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS