Reflexões do Agora Luiz Carlos Varella Prati

EMOÇÕES


Ah! Se a gente pudesse dominar os sentimentos! Mas eles nos tomam, assaltam nossas fortalezas, vão dominando os espaços mais reservados da razão, submetendo-nos aos domínios incontidos da emoção.

Toda vez que escondemos os nossos sentimentos, a vida, com a sabedoria do tempo, escancara tudo o que foi oculto, revelando os segredos guardados nos mais remotos esconderijos do nosso coração.


Luiz Carlos Varella Prati


Gotas do pensamento

- O futuro nos espera, com seu sorriso matreiro, enchendo-nos de promessas que nem sempre vão acontecer.

- Vou acariciando as minhas lembranças com as mãos da saudade.

- Se não tiveres pressa aguarda um pouco o meu carinho, pois ele vem de longe, andando pelas estradas sofridas do meu coração.

- As diferenças existem para comprovar as semelhanças que a gente nunca percebeu ao andar pelos caminhos da dúvida.

- A saudade vai troteando estrada a fora, na busca da aguada distante para matar a sede da solidão.

- A dinâmica dos acontecimentos pode beneficiar o continuísmo, diante da falta de novas soluções.

- As palavras quando exprimem o seu verdadeiro teor, dormem, descansam nos lençóis macios da compreensão.

Luiz Carlos Varella Prati


Poesia


NOITE DE INSÔNIA


Não sei por que o tempo não passa,

se esta noite tão negra e calma

permite se ouçam cochichos da alma,

que fala na voz do silêncio.

Noite... não entendo o que dizes

quando me roubas o sono,

quando me roubas a calma,

na calma da tua paciência!

E fico a lutar com o tempo...

e deixo lá fora, ao relento,

as lembranças que me trazes.

Ainda que a campainha insista

não abro a porta do meu peito.

Espero que estas lembranças

que tanto me batem à porta,

pensando que estou ausente

se recolham, já cansadas,

para dormir na distância

das distantes madrugadas.


Luiz Carlos Varella Prati

Posts recentes

Ver tudo

Reflexões do Agora

Por Luiz Carlos Varella Prati MINHA CIDADE (Guaíba) Quando ando pelas ruas da minha cidade sempre tropeço na minha infância. É que as calçadas por ode andei ainda guardam meus primeiros passos. Mudanç

Reflexões do Agora

FINAL Por Luiz Carlos Varella Prati A pá que cava o buraco na terra e planta o grão na esperança do fruto, é a mesma que encerra uma vida, na sutileza da hora final da sepultura. MENINA/Por Luiz Carlo

Reflexões do Agora

Por Luiz Carlos Varella Prati FLAGRANTE Claridade e luz... A hegemonia sobre a escuridão! Uma sinaleira apagada, em contradição com o momento. Um bêbado distraído, em sua introspecção cruzando a rua.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS