Jorge Cabral

NEGACIONISTAS E NEGACIONISMO

De tempos em tempos surgem expressões que se tornam rotineiras, contaminando o vocabulário de algumas pessoas, como certas canções “chicletes”, cuja repetição fácil e de pouco conteúdo permanece em algumas bocas sendo mascadas mesmo sem sabor e gosto. São pronunciadas até em situações inadequadas, impulsionadas tão somente pelo modismo. Algumas retiradas das gavetas da língua prtuguesa, outras como neologismo diante da conveniência.

Hoje entre outras o negacionismo é a expressão da moda. Tem como significado aquele que nega a existência da realidade, às vezes comprovada pela ciência, ou consubstanciada pela opinião majoritária do bom senso e consenso. Assim temos hoje negacionistas afirmando que seus opositores praticam o negacionismo, vez que um e outro não conseguem enxergar-se a si próprio. A psicologia utilizou duas patologias que fazem o individuo não perceber o que enxerga para explicar algumas reações.

O Escotoma doença oftalmológica e Agnosia moléstia neurológica. A primeira é quando o indivíduo perde a capacidade parcial de enxergar ou tem ausência da imagem no campo da visão. Possui dificuldade para enxergar o que vê, distorce a realidade propositalmente embaçada. Nega, como alívio no enfrentamento do confronto com o que efetivamente acredita.

Sobre a negação, Freud já havia conceituado na sublimação de não aceitar às vezes o impossível, bem como tratou sobre a cegueira histérica da pulsão escópica da visão, analisada também por Jacques Lacan. A psicologia com base nesses ensinamentos dá dois exemplos clássicos. O casal que não quer enxergar a traição do outro, preferem a visão desfocada, desprezam a realidade como se não a existisse. Assim como alguns pais que não querem enxergar a orientação sexual dos filhos.

A Agnosia, a outra doença é uma espécie de amnésia perceptiva. O indivíduo perde a capacidade de reconhecer o que está vendo. Vê a imagem e não consegue interpretar o que vê, tais como objetos, pessoas, inclusive, familiares. Perde o conhecimento sobre o que vê embora enxergue bem. São outras duas pandemias de pessoa que não conseguem interpretar o que vêem.

Paradoxalmente, os negativistas e os que praticam o negacionismo são filosoficamente positivistas, pois não conseguem enxergar outra realidade que não seja suas observações sobre os fatos. Afinal disse o mestre maior, “olhos para quem quer enxergar e não somente para quem quer ver”. Aconselho aos que negam evidências que imediatamente façam um tratamento profilático com “Desnegativina”, antes que apareçam sintomas irremediáveis de consequências fatais. Ou será que vão negar a sua eficácia. Jorge Claudio de Almeida Cabral

Advogado e escritor
jorge.cabral@terra.com.br

Posts recentes

Ver tudo

Coluna do Cabral

REENCONTROS DO TEMPO A Teoria da Relatividade ensinou que o tempo não é absoluto no universo, considerando que nele estamos inserido, independente da influência gravitacional, presenciamos seus efe

Jorge Cabral

Guerra é Paz Este ano o livro de ficção com o título “1984” de George Orwell passou a ser de domínio público no Brasil, pela ocorrência dos setenta anos da morte do escritor. O livro é ambien

Jorge Cabral

Inquisição Por Jorge Cabral A Inquisição ou Santo Ofício, foi formada pela Igreja Católica por volta do século XIII. Eram tribunais que tinham por finalidade punir todos aqueles que fossem co

ÚLTIMAS NOTÍCIAS