Guaíba perde um professor, um poeta






O professor de língua portuguesa e escritor, Renato Lacerda Isquierdo faleceu na segunda, 29 de março, aos 36 anos. Renato foi o segundo professor que faleceu dentro de um mês no Colégio Augusto Meyer por convid 19. No dia 12 de março, morreu o professor Dane Martins. Guaíba encerrou o mês de março com seis mortes de trabalhadores na educação.

A morte precoce do professor e escritor Renato comoveu Guaíba. Casado, tinha uma filha de três meses. Renato tinha como prazer tocar violão, jogar xadrez, ler romances e escrever poemas. Formado em Letras pela ULBRA Guaíba era professor das Escolas Augusto Meyer, Rio Grande do Sul e Evaristo da Veiga.

Renato participou de inúmeras antologias poéticas e, em 2018, lançou um livro de poemas As Aves Solitárias da Poesia, pela editora Sob Medida e, em 2019, lançou a obra infantil O Velho e a Bola. Além de dar aula, Renato era revisor e prestava serviço para a editora Palavreado.


Depoimentos

A cultura e a educação ficaram tristes com a perda do jovem escritor. A ex-diretora da escola Augosto Meyer viu Renato crescer na escola, onde fez o ensino fundamental e médio e depois voltou como professor.”Era um anjo, querido, compreessivo, inovador”, comentou Eliane. “Deixa muita saudade e muita poesia em nosso coração”, complementou. “Perdemos dois professores, dois grandes amigos que marcaram a história da escola”, destacou Eliane.

Para a escritora e amiga Débora Jardim, Renato foi “uma pessoa ímpar, com um olhar poético sobre as coisas da vida. Versava com desenvoltura sobre o amor, sobre o cotidiano e mesmo sobre aquelas pequenas coisas que não costumam chamar a atenção das outras pessoas.

Foi professor, amava ensinar e ensinava sobre o que amava”, detacou.

Débora lembra que como músico, adorava tocar violão e cantar. “Tudo o que pedíamos ele tocava e cantava sempre com um sorriso no rosto e uma paciência enorme para nossa desafinação”, comentou.

“Parceiro literário, sempre presente em Cafés, Saraus e principalmente encontro com alunos e alunas, fosse para falar sobre seus livros ou para falar de literatura em geral. É quase sempre com seu violão.

Pretendia seguir também pelo mundo dos livros infantis, conversávamos muito sobre a necessidade de aprimorarmos nosso escrita sempre” frisou a escritora e editora de livros que tinha diversos projetos pela frente.

“Era um ativista, com olhar aguçado sobre nossa realidade cultural e social, não se esquivando de comentários sobre isso. Escrevia sempre, era um escritor profícuo. Fora isso o Renato agora vivia o papel que considerava mais importante: o de marido e pai amoroso”, comentou.


HOMENAGEM: Promovido por alunos da disciplina de Empreendedorismo Criativo, ministrada pelo professor Cristiano Baldi, do curso de Escrita Criativa, o concurso literário Rasuras será denominado Prêmio Renato Isquierdo, em homenagem ao ex-aluno e escritor falecido no dia 29 de março. Desde 2017, o concurso é realizado todo o semestre, recebendo inscrições de textos de alunos de todos os cursos da Universidade. Durante o evento ocorre a divulgação dos premiados em quatro categorias: Conto, Crônica, Poesia e Drama/Roteiro.


Recomeçar

Recomeçar sempre é possível.

Mesmo após as grandes tempestades

Da vida

É possível se reerguer

E esperar o sol do amanhã.

Mesmo com as asas feridas

É possível sobrevoar o céu

Em busca de novo horizonte.

É possível

Pôr, na sombra, luz.

Pôr, na tristeza,

alegria.

Tudo é possível,

Porque o dia vai amanhecer,

Novas flores

Cobrirão os jardins.

Novas histórias serão contadas,

Novas canções serão entoadas,

Novos amores serão encontrados,

fortalecidos e eternizados.

Recomeçar sempre é possível,

Porque, após o final,

Há sempre um novo caminho.

Após grandes quedas,

Há sempre grandes lições.

Portanto, recomece.

De forma simples, dê um sorriso,

De forma simples, dê um abraço,

De forma simples, simplesmente viva.

E de repente um novo dia surgirá,

E um novo sol brilhará no seu coração.


Renato Isquierdo/março 2020

ÚLTIMAS NOTÍCIAS