Duas décadas sem Lutzenberger

Há 20 anos, no dia 14 de maio de 2002 morria o ambientalista José Lutzenberger. Ele foi um agrônomo, escritor, filósofo, paisagista e ambientalista que participou ativamente na luta pela preservação ambiental.

Natural de Porto Alegre nasceu no mesmo ano da criação do município de Guaíba, em 1926, e teve uma relação muito próxima com Guaíba. Veraneava na praia da Alegria quando criança. Na década de 70 lutou contra a empresa Borregard e mais tarde ajudou a Riocell a encontrar uma alternativa para os resíduos industriais. Hoje, 100% dos resíduos são reciclados, sendo uma das empresas mais limpas do mundo.

Para ele, “lixo não é outra coisa senão material bom colocado em local errado”.

O ambientalista criou alternativas na reciclagem de resíduos de empresas e cidades.

Em Guaíba, junto a antigo Morro da Hidráulica, foi criado o Parque Natural Municipal Morro José Lutzenberger que é uma Unidade de Conservação, da categoria de Proteção Integral, criada em 04 de dezembro de 2013, através do Decreto Municipal 116/2013, após mais de 20 anos de luta pela preservação deste importante fragmento de Mata Atlântica no Centro da cidade de Guaíba.

Na foto, na sua última entrevista em Guaíba, no Caisinho, com o jornalista Valmir Michelon, manifestou o interesse em ajudar na preservação do morro. “As cidades que valorizarem o verde, terão maior valor no futuro”, comentou.

Em 2012, nos dez anos da sua morte, foi criado no Instituto Estadual de Educação Gomes Jardim, o Recanto José Lutzenberger em homenagem ao ambientalista com a presença das filhas do mesmo e diretores da empresa Vida.



Nome do antigo Morro da Hidráulica leva o seu nome e será uma unidade de preservação. No desenho, ele na praia da Alegria quando era criança, sendo pintado pelo pai.




Recanto José Lutzenberger na escola Gomes Jardim. Última entrevista ao jornal Nova Folha





Livro resgata a sua história e obra de Lutzenberger fala das suas ideias/Fotos Valmir Michelon/Acervo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS