Câmara aprecia projetos polêmicos


Semana foi marcada por muitos debates na Câmara de Vereadores. Por três vezes, o vereador Manoel Eletricista (PSDB) conseguiu liminar impedindo a votação de projetos de reforma administrativa. O parlamentar defende maior debate com a comunidade. Nova sessão ocorreu no final de tarde de quinta-feira, 27. O Executivo tentou recorrer da decisão. A sessão extraordinária analisava oito projetos. Além da reforma administrativa, um deles prevê reajuste do funcionalismo em 8,18 %. Do lado de fora da Câmara, servidores fizeram manifestação contra os projetos de reforma administrativa que prevê criação da Secretaria de Esportes, Secretaria da Causa Animal e subprefeitura no bairro Pedras Brancas, aumento de cargos em comissão, entre outros. Vereadores da oposição criticaram a Mesa Diretora que impediu que a população assistisse à sessão extraordinária. Por sua vez, a Mesa Diretora justificou que a proibição foi em virtude do aumento dos casos de covid-19.

Os projetos devem ser analisados na primeira sessão ordinária do ano , no dia 1o de fevereiro.

SOB CHUVA:Servidores que foram protestar contra projetos que entrariam em votação na Câmara de Vereadores, na quarta-feira, dia 26, tiveram que ficar de fora da sessão e na chuva. Faltou sensibilidade da Casa em não abrir as grades na Rua Sete de Setembro, para abrigar os professores e funcionários que tiveram que se abrigar na marquise do Banco do Brasil, durante forte chuva no final da tarde. O fato gerou muita reclamação e indignação por parte dos manifestantes. Com o temporal, faltou energia elétrica e a sessão foi transferida.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS