Arte Déco na Escola Gomes Jardim

Pesquisa mostra 39 prédios construídos na Era Vargas no RS



A arquitetura do prédio do Instituto Estadual de Educação Gomes Jardim, em Guaíba, foi alvo de estudo do trabalho de graduação no curso de Arquitetura da Universidade de Pelotas,de Lisiê Kremer Cabral. Com o título “Arquitetura Art Déco nas escolas do Rio Grande do Sul no período do Estado Novo (1930 – 1950) Patrimônio Cultural, Lisiê resgata a história da educação do RS através da construção dos prédios. Orientadora foi a professora Ana Lúcia Costa de Oliveira .

Segundo ela, o trabalho fez um estudo as escolas padrão no RS durante a Era Vargas com recorte temporal entre 1930 e 1950. O trabalho tem três partes: construção de referenciais teóricos a partir de bibliografia que trata sobre educação, arquitetura escolar no Brasil, Art Déco e aspectos políticos e ideológicos da época; identificação das obras e análise do projeto padrão. Conforme ela, durante o governo de Vargas, na década de 1930, o sistema educacional foi reformulado para facilitar o acesso à educação. Foi implementado um novo programa escolar que teve como intuito formar uma unidade nacional através de conceitos cívicos e morais.

Conforme a estudante, nesse mesmo cenário já estavam sendo construídos prédios imponentes com uma linguagem progressista, que possuíam a intenção de marcar o momento político. As escolas com projeto padrão, apresentadas sob uma linguagem arquitetônica Art Déco, estão situadas nessa conjuntura e, além da sua suntuosidade, possuem elementos que podem ser relacionados à nacionalização do ensino, como os estandartes e terraços utilizados em momentos cívicos. Segundo ela, foram identificadas 39 instituições escolares semelhantes com variações que foram influenciadas pelo número de alunos: 200, 250, 350, 500 e 750. A obra da edificação realizada pela empresa Haessler & Woebcke foi entregue em setembro de 1941 e tinha capacidade para 350 alunos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS