• Nova Folha Regional

Altair Martins estreia na poesia em ‘Labirinto com linha de pesca’


A Diadorim Editora lança no dia 27 de abril, às 17h, o primeiro livro de poemas de Altair Martins. Premiado autor de romances e contos, Martins faz sua estreia na poesia em “Labirinto com linha de pesca”. Os 51 poemas do livro são divididos em cinco seções: paisagens, seres, palavras, cenas e retratos.


O lançamento será ao vivo no instagram da livraria Baleia (@livrariabaleia), com mediação da livreira e jornalista Nanni Rios. O livro entra em pré-venda autografada nesta segunda-feira,12 e os envios e entrega ao público começarão uma semana após o evento.

“Meu nome era poeta frustrado”, brinca o autor sobre o lançamento de Labirinto com linha de pesca. “Minha escrita poética nasce da minha necessidade, enquanto sujeito, de transitar (ainda mais em tempos de pandemia) entre uma textualidade e suas possíveis ‘traduções’ – uma tradução intersemiótica, como disse lá atrás Roman Jakobson”, pontua.


Leitor – e admirador – de Drummond e João Cabral, além de Carlos Nejar, Armindo Trevisan, Marco de Menezes, Ana dos Santos e Fernanda Bastos, entre outros poetas, Martins não teme uma eventual rejeição dos leitores. “A rejeição devido ao rótulo de prosador tem seu risco, um risco previsível, mas creio que a leitura de Diego Grando, a quem tanto respeito, me deu um empurrão — vamos lá, é agora!”, revela.

Grando, que assina a apresentação do livro, destaca que a estreia de Martins revela um autor seguro em relação à sua escrita. “Engana-se muito quem pensa que este primeiro conjunto de poemas do Altair seja o livro de um poeta estreante. Percebem-se, já de partida, tanto a mão segura de quem tem uma relação tensa e intensa com a linguagem quanto a capacidade de controlar afetos, percepções e pontos de vista – não para escamoteá-los, mas para intensificar e alargar seus efeitos”, diz.

Em outro momento, destaca que “irrompem [nos poemas], a todo momento, a (auto) crítica do presente, as relações de trabalho-exploração que dão as regras do jogo social, a força avassaladora do progresso técnico e do capital e a percepção da precariedade da vida.”

Altair Martins Publicou, entre outros livros, A parede no escuro (2009, prêmio São Paulo de Literatura) e Enquanto água (2012, prêmio Moacyr Scliar).

Labirinto com linha de pesca tem 96 páginas e estará disponível nos canais de venda da Diadorim Editora a partir de R$ 45.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS