• Nova Folha Regional

a sombra escrita da imagem

Atualizado: Jun 4

52. Vento redondo sob a cortina do quarto
  • Texto Altair Martins

  • Foto Leonardo Sessegolo


Seria preciso esquecer os que não respiram

agora

e resguardar o tom de voz que chega

quando o dia engana aberto e claro

nesta carne que espia por entre as nossas roupas

e é por isso que falta um rosto

aos que esfriam os telhados

e vendem cerveja antes do jogo

porque não somos senão

este teatro de casa própria

com seu vento redondo

sob a cortina do quarto


Seria preciso concordar com a gasolina

agora

e com o merecimento dos que merecem

seria preciso que alguém nos convencesse

da inutilidade dos insetos

enquanto dentro do fogão

trabalha o gás e fora dele a boca

contra a fome

e pelos canos e fios corre o conforto

e é por isso que confiamos

na beleza redonda deste vento

sob a cortina do quarto


Seria preciso assassinar os bairros feios

agora

e repintar de riso e tênis brancos

os cartões-postais

como seria preciso um guarda em cada esquina

para acreditarmos (mas acreditarmos mesmo)

que só é pessoa quem se veste

e come como pessoa

isso quando nossa cabeça

é só a cabeça que tem razão

e é pra alívio dela que este vento se redonda

sob a cortina do quarto


Seria preciso fincar o corpo neste telefone

autossuficiente agora

e evitar o que se soma e o que se debita

de uma cebola que nasceu antes da casca

somos o presente e compramos o que escolhemos

(embora da cesta que uma firma remota escolheu

para o livre-arbítrio de quem escolhe)

porque no fundo não há mesmo mundo

senão a nossa foto e o comentário de quem nos segue

pois que somos como aquele vento

e seu instante redondo

sob a cortina do quarto




ÚLTIMAS NOTÍCIAS