>Greve no retorno das aulas na rede estadual

Greve no retorno das aulas na rede estadual

Paralisação

A paralisação dos professores estaduais afetou o retorno das aulas. Muitas escolas pararam nesta semana na região em virtude do atraso no pagamento dos salários. Na folha de pagamento de julho, os servidores receberam o valor de R$ 650, na segunda-feira, 31 de julho.
Na segunda e terça-feira algumas escolas optaram por turno reduzido e na quarta, quinta e sexta as escolas paralisaram, após assembléia estadual em Porto Alegre, que deliberou pela greve de três dias. Segundo os diretores do CPERS, Luis Peretti e Felipi Nunes, a adesão em Guaíba foi de cerca de 90%, apenas as escolas Nestor de Moura Jardim e Pedras Brancas não pararam. As demais paralisaram totalmente ou parcialmente.
Na tarde desta sexta-feira, 04 de agosto, ocorre nova assembléia na Capital para definir o rumo do movimento. “Acreditamos na continuidade da greve. A situacão esta insustentável. O atraso nos salários dos Servidores também causa um impacto negativo na economia da cidade e região, comentaram os diretores.
Na terça-feira, 01 de agosto, o auditório do Instituto Estadual de Educação Gomes Jardim lotou de professores e funcionários na assembléia regional do 34º Núcleo do Cpers/Sindicato. A assembléia decidiu pela greve.